quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Tudo novo... de novo!

"Eis que faço novas todas as coisas!” (Apocalipse 21:5)

O versículo acima se passa em um contexto muito específico, o qual não vou me ater aqui. Mas, independente disso, nosso Deus é um Deus de renovação!

Mais um ano se passou. Como foi pra você? Pra mim foi ótimo! Pensei em fazer um texto analisando todo o meu ano, ponderando tudo de bom e de ruim que aconteceu. Mas, confesso, essa tarefa me deu um tanto de preguiça! Assim, quem sabe, tinha que saber... quem não sabe, da mesma forma.

Vamos olhar para o ano que se inicia! A chegada de um novo ano traz em si mesmo novas perspectivas, novos anseios, novos desejos. Sendo assim, em Deus, eu:

Desejo ao cansado que encontre descanso.
Ao angustiado, alívio.
Ao deprimido, uma nova canção.
Ao cativo, libertação.
Ao ferido, restauração.
Ao desprezado, honra.
Ao faminto, satisfação.
Ao cego, direção.
Ao que está nas trevas, Luz.
Ao que está na Luz, que não se esconda.
Ao medroso, coragem.
Ao perseguido, refúgio.
Ao que está em guerra, Paz.

Por fim, parafraseando algo que li em um livro do Philip Yancey, que nós, que proclamamos a Jesus como nosso único e suficiente Salvador e Senhor, que reconhecemos a Deus como Criador e Pai e que vivemos debaixo da obra consoladora do Espírito Santo, que cremos na abertura do Mar Vermelho como algo literal, não deixemos de ser literais, também, quando a mesma Palavra nos ordena que estendamos nossas mãos aos necessitados. Desejo isso pra mim e pra você.

Feliz 2011!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Palavra Viva!

Hoje concluí algo que se tornou uma das minhas grandes metas em 2010: ler a Bíblia inteira, de "capa a capa". Não foi um daqueles objetivos traçados durante a virada do ano. Não. Foi algo que surgiu há uns 4 ou 5 meses atrás, ao digerir várias leituras que havia feito neste ano até então.

Mais do que querer ler a Bíblia inteira, eu senti que eu precisava disso. Já havia lido todos os 66 livros que compõem, alguns por várias vezes. Mas nunca havia feito nada "sequencial", contínuo. 

Li sem grandes pretensões ou aspirações. Apenas li, por puro prazer. Não me preocupei com exegese, com traduções, interpretações, etc. Conquanto essas coisas tenham me "entretido" em muitos textos, mantive o foco: ler. Quaisquer outras preocupações desse tipo ficaram para uma próxima oportunidade.

Foi fantástico!

Percebi o quanto eu me esqueço de que a Palavra de Deus é viva. Sim, e não há nenhum outro texto no mundo assim. Não há outro livro capaz de transbordar Vida. Nenhuma outra obra consegue ensinar infinitas coisas diferentes a partir das mesmas linhas "de sempre" (não coloco nenhuma pejoratividade aqui).

Aprendi muitas coisas novas, fundamentei outras que já tinha algum conhecimento e, claro, saí dessa leitura com mais alguns bocados de dúvidas; coisas que, caso o Senhor queira, Ele mesmo tratará de me esclarecer em algum momento.

Pude desfrutar, inclusive, muitas e muitas alterações em meu próprio ser, em meu caráter, em meus valores e em meu relacionamento com Ele. Para alguns isso pode parecer loucura! "Como assim? Apenas lendo um livro, mesmo sendo a Bíblia?". Pois é! Como diz em Hebreus 4:12: "Pois a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais afiada que qualquer espada de dois gumes; ela penetra até o ponto de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e intenções do coração". Ou seja, um contato diário com algo tão poderoso, vindo direto da boca de Deus, só pode gerar frutos benditos, que restauram, curam, renovam e libertam.

Não sei o que pode estar passando pela sua cabeça agora, ao ler este texto. Mas, se de alguma forma ele lhe causou curiosidade ou lhe deixou intrigado(a), deixo uma sugestão: tente fazer o mesmo! Foi muito bom pra mim, e não vejo como poderia ser ruim para ninguém. Afinal, trata-se da Palavra. E não se preocupe com prazos: leia em quanto tempo conseguir, mas leia!

Se, ao contrário, para você isso não tem nada a ver, é desnecessário, sem sentido, bobeira, peleguice ou sei lá o que mais... tudo bem! Deus trabalha na vida de cada um de uma forma singular. Apenas deixe que Ele trabalhe na sua!

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Falando do que interessa - Parte II

Alguns posts atrás eu tratei um tema que intitulei "Falando do que interessa", onde comentei um pouco sobre o que entendo que a Bíblia fala sobre discussões que levam nada a lugar nenhum. Mais do que tornar público (???) o que penso, aquilo que escrevo serve muito mais para a minha própria reflexão do que qualquer outra coisa. Se, além disso, ajudar alguém a pensar um pouco em algum assunto... tanto melhor!

Hoje estava lendo a Bíblia e me deparei com outro texto que, de forma um pouco mais indireta, também trata sobre este assunto. Creio que tal texto não necessita de maiores comentários: é claro por si só! Por isso, vou transcrevê-lo quase na íntegra e destacar os pontos que julgo mais importantes dentro desse contexto.

Romanos 14

"Aceitem o que é fraco na fé, sem discutir assuntos controvertidos. Um crê que pode comer de tudo; já outro, cuja fé é fraca, come apenas alimentos vegetais. Aquele que come de tudo não deve desprezar o que não come, e aquele que não come de tudo não deve condenar aquele que come, pois Deus o aceitou. Quem é você para julgar o servo alheio? É para o seu senhor que ele está em pé ou cai. E ficará em pé, pois o Senhor é capaz de o sustentar.

Há quem considere um dia mais sagrado que outro; há quem considere iguais todos os dias. Cada um deve estar plenamente convicto em sua própria mente. Aquele que considera um dia como especial, para o Senhor assim o faz. Aquele que come carne, come para o Senhor, pois dá graças a Deus; e aquele que se abstém, para o Senhor se abstém, e dá graças a Deus. Pois nenhum de nós vive apenas para si, e nenhum de nós morre apenas para si. Se vivemos, vivemos para o Senhor; e, se morremos, morremos para o Senhor. Assim, quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor.

Por esta razão Cristo morreu e voltou a viver, para ser Senhor de vivos e de mortos. Portanto, você, por que julga seu irmão? E por que despreza seu irmão? Pois todos compareceremos diante do tribunal de Deus. Porque está escrito:

“‘
Por mim mesmo jurei’,
diz o Senhor,
diante de mim
todo joelho se dobrará
e toda língua confessará
que sou Deus’ ”

Assim, cada um de nós prestará contas de si mesmo a Deus.

Portanto, deixemos de julgar uns aos outros. Em vez disso, façamos o propósito de não colocar pedra de tropeço ou obstáculo no caminho do irmão. Como alguém que está no Senhor Jesus, tenho plena convicção de que nenhum alimento é por si mesmo impuro, a não ser para quem assim o considere; para ele é impuro. Se o seu irmão se entristece devido ao que você come, você já não está agindo por amor. Por causa da sua comida, não destrua seu irmão, por quem Cristo morreu. Aquilo que é bom para vocês não se torne objeto de maledicência. Pois o Reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, paz e alegria no Espírito Santo; aquele que assim serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens.

Por isso, esforcemo-nos em promover tudo quanto conduz à paz e à edificação mútua. Não destrua a obra de Deus por causa da comida. Todo alimento é puro, mas é errado comer qualquer coisa que faça os outros tropeçarem. É melhor não comer carne nem beber vinho, nem fazer qualquer outra coisa que leve seu irmão a cair.

Assim, seja qual for o seu modo de crer a respeito destas coisas, que isso permaneça entre você e Deus. Feliz é o homem que não se condena naquilo que aprova. Mas aquele que tem dúvida é condenado se comer, porque não come com fé; e tudo o que não provém da fé é pecado."

Quando Paulo fala sobre dias sagrados e comidas, está utilizando exemplos que se referem a convicções. Ou seja, respeite as convicções dos demais, tenha paz com Deus em relação às suas e cuide para que elas não levem outros a tropeçar.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Movimento "Free to Believe"

Fonte: http://www.portasabertas.org.br/freetobelieve

A Organização da Conferência Islâmica, que compreende 57 países, sendo a maioria de população muçulmana, apresentará mais uma vez a Resolução da Difamação da Religião na Assembleia Geral das Nações Unidas, no final deste ano.
Essa resolução:
  • Dá ao governo o poder para determinar quais visões religiosas podem ou não podem se expressar nesses países;
  • Dá ao Estado o direito de punir aqueles que expressam posições religiosas “inaceitáveis”, de acordo com o que eles acreditam;
  • Torna a perseguição legal;
  • Visa criminalizar palavras e ações consideradas contra uma religião em particular, nesse caso, o Islã.
  • Tem o poder de estabelecer legitimidade internacional para leis nacionais que punem a blasfêmia ou, por outro lado, proíbem críticas à religião.
Muitos países apoiaram essa resolução no passado, mas alguns agora estão mudando de ideia. Este ano, existe uma possibilidade real de que ela seja derrotada. E você pode ajudar. Está na hora de mudarmos isso.
Participe da petição global realizada pela Portas Abertas Internacional e una-se a milhares de cristãos ao redor do mundo. O abaixo-assinado será entregue às Nações Unidas em dezembro deste ano.

» Como posso ajudar?

Divulgue a campanha para outras pessoas, em sua igreja, escola, faculdade, trabalho, utilizando os recursos disponibilizados em nosso site. Faça o download de alguns recursos como vídeos, apresentação em powerpoint e arquivos para marca-página e adesivo. Além disso, você pode imprimir o abaixo-assinado quantas vezes quiser e distribuir para muitas pessoas.
Preencha seus dados no formulário, que funciona como um abaixo-assinado eletrônico e ajude a mudar a história da liberdade religiosa em muitos países.


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Projeto de Lei sobre Educação

Pessoal,

Há um projeto de lei interessante tramitando no Senado Federal. É a PLS (Projeto de Lei do Senado) nº 480 de 2007, de autoria do Senador Cristovam Buarque. A ementa dela diz: “Determina a obrigatoriedade de os agentes públicos eleitos matricularem seus filhos e demais dependentes em escolas públicas até 2014.”.

Ou seja, todo fulano que chegou a algum cargo público através de eleição passaria a ser OBRIGADO a matricular seus filhos em escolas públicas! Imaginam a situação? Se aprovado, haveria um “interesse” repentino em melhorar muito a qualidade do ensino público, ao menos na área de “jurisdição” de cada eleito. Isso talvez até fizesse com que algumas “celebridades” pensassem com mais carinho antes de lançarem suas candidaturas (imaginam os filhos de algum rico empresário estudando em escola pública?).

Parece genial! Afinal, salvo raras exceções, só utiliza o ensino público hoje em dia aquelas famílias que realmente não têm outra opção (exceto no caso do ensino superior, onde as universidades estaduais e federais ainda são dignas de menção). Isso obrigaria vereadores, prefeitos (e seus vices), deputados (e seus suplentes), senadores (e seus suplentes), presidente (e seu vice) a utilizarem aquilo que eles mesmos têm largado ao longo de décadas.

A ideia parece tão interessante que dá até pra duvidar que seja aprovada. Pra quem quiser acompanhar a tramitação e saber outras informações sobre este projeto de lei, acesse:


Quem quiser ler o texto inicial do projeto, o pdf está aqui. Nele o autor faz uma breve justificativa para a sua elaboração.

Esse é o típico assunto que vale o acompanhamento e a pressão popular, mas que, infelizmente, não é amplamente divulgado.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Falando do que interessa

Esse fim de semana pude ter uma conversa muito agradável com dois grandes amigos: André (Tolentino) e Lícia (Teresa). Falamos de coisas da vida e da vida das coisas... e mencionamos também alguns assuntos que de tempos em tempos trazem polêmicas ao meio cristão.

Longe de termos entrado em qualquer embate (afinal, no nosso círculo de amizades, tudo sempre acaba em pizza! hehehe!), a conversa me lembrou um alerta dado na carta escrita para Tito, no capítulo 3, versículo 9:

"Evite, porém, controvérsias tolas, genealogias, discussões e contendas a respeito da Lei, porque essas coisas são inúteis e sem valor."

Em 16 anos de caminhada cristã, perdi a conta de quantas vezes vi "irmãos" literalmente se digladiando por causa de assuntos recorrentes, como:
  • Pode alguém já salvo perder a salvação?
  • Há pessoas predestinadas a serem salvas e outras predestinadas a não o serem?
  • Somos seres tricotômicos ou dicotômicos?
  • O batismo "correto" é por aspersão ou por imersão?
E por aí vai.

Não sei exatamente o que fez com que Paulo classificasse essas discussões como "inúteis e sem valor", mas tenho as minhas justificativas para tanto:
  1. Inúmeros, centenas, talvez milhares de teólogos por todo mundo, durante toda a história da Igreja, bateram cabeça a respeito desses e de outros tantos assuntos. E esses caras, com todo o seu conhecimento, muitas vezes dedicando a vida inteira ao estudo e à pesquisa, não chegaram a um consenso entre si. Como nós, com muito menos "recursos", chegaríamos à unanimidade?
  2. Nunca vi nenhum assunto polêmico que versasse sobre a questão fundamental do Cristianismo: Salvação. E, se pararmos mesmo para pensar, se um assunto não trata de algo que define a salvação de vidas, não vale a pena perder tempo com ele (talvez apenas "for fun").
E falando sobre Salvação, ela sim é algo muito simples, talvez por isso não cabe polêmica:
  • Todos pecaram e foram separados do relacionamento com Deus (Romanos 3:23);
  • Deus, ao se compadecer do estado de perdição do homem, expressou o seu imensurável amor ao oferecer o seu próprio Filho, Jesus, para morrer nos lugar de todos nós (João 3:16). O Justo morrendo pelos injustos (Romanos 5:8);
  • Neste ato, Jesus se fez o único elo que pode unir (religar, raiz da palavra religião) o homem a Deus novamente, tornando-nos filhos dEle (João 14:6 e João 1:12);
  • Jesus ressuscitou (Mateus 25:5-6)! A vitória dEle sobre a Morte nos traz a vida eterna (João 3:15).
Simples assim. Se Deus se preocupa muito mais com a salvação de suas ovelhas perdidas, quem somos nós para pensarmos e agirmos de modo diferente?

Eu mesmo curto uma polêmica! Então esse texto fica para a minha própria reflexão também.

Por fim, deixo uma frase que li hoje e achei fantástica (em http://www.causapropria.com.br):

“...são os relacionamentos e as experiências de vida que podem levar as pessoas a experimentar a vida cristã, e não o convencimento de que eu cheguei a uma verdade que vai derrubar a sua mentira.” - Ricardo Quadros Gouveia, professor da Universidade Mackenzie e pastor da Igreja Presbiteriana do Limão, em São Paulo, autor do livro A Piedade Pervertida: Um Manifesto Anti-fundamentalista em nome de uma teologia de Transformação.

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Simplesmente Dilma...

É cômico! E ainda temos tempo de evitar que se torne trágico...


quinta-feira, 19 de agosto de 2010

Ontem, hoje e para sempre

Faz tempo que não escrevo nada por aqui. Em parte por conta da grande (enorme) correria das últimas semanas. E, em boa parte também, devido a um certo relaxo da minha parte.

Porém hoje pela manhã, indo para o trabalho e lendo a Bíblia, me deparei com algo muito forte e que, julguei, deveria compartilhar por aqui. Então vamos lá...

"Embora muitos dos que vieram de Efraim, de Manassés, de Issacar e de Zebulom não se tivessem purificado, assim mesmo comeram a Páscoa, contrariando o que estava escrito. Mas Ezequias orou por eles, dizendo: 'Queira o SENHOR, que é bondoso, perdoar todo aquele que inclina o seu coração para buscar a Deus, o SENHOR, o Deus dos seus antepassados, mesmo que não esteja puro de acordo com as regras do santuário'. E o SENHOR ouviu a oração de Ezequias e não castigou o povo." - 2 Crônicas 30:18-20.

Não sei quantos concordariam com a afirmação que eu vou fazer, mas isso de fato não me preocupa muito! Hehe! A verdade é que na Igreja de um modo geral, e incluo aqui a minha própria "formação cristã", há algo como que uma imagem de Deus no Antigo Testamento que o retrata como um verdadeiro tirano, inflexível, sem compaixão, sem misericórdia e totalmente legalista.

É verdade que muitos talvez nem tenham pensado nisso (eu mesmo não tinha até pouco tempo atrás), mas percebi que, ao menos comigo, isso era algo meio inconsciente. Sempre vi "o Deus do Novo Testamento" meio diferente "do Deus do Antigo Testamento", mas isso nunca foi algo declarado para mim mesmo. Essa coisa de "Era da Lei" (Antigo Testamento) e "Era da Graça" (Novo Testamento) acabava, no fim das contas, sendo algo como "Era do Tirano" e "Era do Bonzinho".

Como se Deus tivesse mudado ao longo da história! Nossa boca diz que Ele é imutável, mas muitas vezes nossos atos demonstram que cremos no contrário...

O texto citado acima (em Crônicas) se passou em um contexto muito difícil: Judá vinha de uma verdadeira gangorra no seu relacionamento com o Senhor, onde hora eles tinham um rei que cultuava a Deus, hora tinham outro que cultuava a qualquer deus. Isso gerou uma grande ira no Senhor, que permitiu que povos inimigos atacassem Judá por diversas vezes (além de outras consequências)... Judá só não foi completamente destruída porque Deus honrava a promessa que havia feito a Davi.

E eis que chegou o reinado do rei Ezequias. Ele foi um "cabra bão", que decidiu seguir fielmente a Deus e trazer o povo de volta para os caminhos dEle. Uma das coisas que ele fez nesse sentido foi chamar o povo a celebrar uma Páscoa.

Se voltarmos lá em Levítico, Números e Deuteronômio veremos que todas as celebrações que Deus instituiu eram ligadas a várias condições, principalmente no sentido de se estar purificado. Essas condições eram ainda mais rígidas para os sacerdotes, e muitíssimo mais rígidas para o sumo sacerdote.

Mas imagina só a situação: gerações e mais gerações, séculos de "corda bamba" em relação ao culto ao Senhor. E, de repente, surge um rei que resolve colocar as coisas no seu lugar devido. Mas o povo não estava em condições para tanto. Aliás, muitos provavelmente nem sabiam ao certo o que Deus esperava de um culto a Ele.

E aí surge uma realidade que nos acostumamos a atribuir apenas ao novo testamento: graça e misericórdia. Ezequias ora a Deus pedindo que ele aceite o culto que o povo estava prestando a Ele, embora as condições em que o povo se apresentava não fossem as mais adequadas. E Deus, vendo que o coração de Ezequias e do povo era sincero, e que a adoração deles era correta, aceitou esse culto!

Essa é mais uma prova (há muitas) de que mesmo no Antigo Testamento, onde havia uma realidade ritualística muito mais forte do que no Novo Testamento, Deus já estava mais preocupado com a sinceridade do nosso coração do que com a formalidade do nosso culto; e que um coração obediente e adorador é muito mais agradável a Ele do que qualquer sacrifício que se possa fazer.

Afinal, Ele é o mesmo ontem, hoje e o será eternamente (Hebreus 13:8).

sexta-feira, 2 de julho de 2010

No comments...


O que dizer? Holanda 2 x 1 Brasil...

sábado, 26 de junho de 2010

Férias 2010 - Parte 04

Voltemos aos posts sobre as nossas férias! Ainda tenho muito a contar... hehehe!

Na verdade, como tenho dito, ainda que tivesse filmado 24 horas por dia, tirados fotos de absolutamente tudo e que me lembrasse de cada segundo passado durante essa viagem, não conseguiria passar aos outros a idéia exata das impressões, sensações e visões... só vivendo mesmo pra conseguir entender (e quem já passou por isso sabe do que estou falando)!

No dia 10 de abril chegamos no aeroporto de Orlando, no início da noite. Lake Buena Vista fica mais ou menos a 45 minutos de Orlando. Nosso hotel foi o All Star Music, um dos hotéis da rede Walt Disney World Resort. Ele faz parte da categoria Value, que são os hotéis mais baratos da rede. Mesmo assim, um hotel excelente!

Pudemos constatar o que realmente já havíamos imaginado: ficar hospedado dentro do complexo da Walt Disney World é extremamente vantajoso! Um hotel em Orlando no mesmo nível do nosso custa por volta de US$ 15.00 a menos em cada diária e é uma economia que, ao menos numericamente, não vale a pena. Algumas vantagens de fica hospedado dentro do complexo:

  1. Você fica 100% do tempo conectado a um ambiente que é totalmente planejado para o seu entretenimento;
  2. Transporte gratuito aeroporto-hotel e hotel-aeroporto;
  3. Transporte gratuito entre todos os parques, hotéis e demais áreas do complexo (como Downtown Disney, por exemplo);
  4. Os ônibus do complexo circulam até às 03h00 da manhã, o que é muito legal especialmente pra quem quiser ir curtir o Downtown Disney;
  5. Qualquer compra feita em qualquer loja do complexo pode ser entregue diretamente no hotel em que você está hospedado. Ou seja, você não precisa se preocupar em comprar coisas nos parques, por exemplo, e ficar o dia inteiro carregando sacolas pra cima e pra baixo;
  6. Todo o consumo (compras, restaurantes, etc) realizado dentro do complexo não precisa ser pago na hora, basta creditá-lo no seu cartão de hóspede para acertar tudo no check-out. Ou seja, não há uma grande necessidade de se carregar dinheiro, cartão, etc.
Ou seja, só o que se economiza com transporte entre aeroporto, parques e hotel, já compensa aquela direferença de US$ 15.00 que eu mencionei... e ainda com mais vantanges!

Bom, agora chega de falar e vamos a mais algumas fotos!

Estátua que fica bem em frente ao castelo da Cinderela no Magic Kingdom. Nela, Walt Disney e sua maior criação, o Mickey. A placa embaixo da estátua diz: "Nós acreditamos em nossa idéia: um parque familiar, onde pais e filhos podem se divertir - juntos".

Entrada do Hollywood Studios (e a Érica sem saber que ia aparecer na foto! hehehe!)

Queima de fogos do Epcot Center. Simplesmente fantástico!

Animal Kingdom. Nem tão "animal" assim...

No próximo post, vou falar um pouco sobre o que rolou em Orlando além da Disney!!

sábado, 19 de junho de 2010

Quatro anos em alguns dias

Como o tempo passa, não? Às vezes paramos e nos damos conta em quantas coisas aconteceram em um espaço curto de tempo, ou mesmo nos lembramos de algo que parece ter acontecido "ontem", mas que, na verdade, já está distante no tempo.

Hoje é um dia onde penso especialmente nessas coisas. Neste dia faz 4 anos que a minha querida mãe nos deixou. Não vou dizer que hoje a dor é maior ou diferente do que nos outros dias. De certa forma, aprendi a conviver com essa lembrança diária. Sem exageros, não há um dia sequer em que não me lembre dela, não me lembre de algo bom, ou de algo ruim e ligado à sua partida. E hoje não é diferente... na verdade, é bem igual. A primeira coisa que lembrei ao acordar foi: "nossa, já se passaram 4 anos".

Me lembro de tudo como se tivesse acontecido na semana passada. O trauma gerado em mim por tudo aquilo que ela passou (e por tudo o que sofri com isso) deixou cicatrizes profundas. E, como toda cicatriz, não dói... mas às vezes incomoda... e sempre traz a lembrança daquilo que a gerou.

O meu inconsciente (ou subconsciente, sei lá) também trata de sempre me lembrar. Sonho frequentemente com ela. Alguns sonhos são perturbadores, como quando a vejo meio que "voltando" nosso convívio, ou dizendo coisas sobre tudo o que aconteceu. Outros são até agradáveis, quando a vejo participando conosco de bons momentos. Prefiro esses últimos, claro. Dão uma sensação esquisita, mas boa, de ter matado um pouquinho das saudades...

Quando me diziam que a dor ia passar, mas que a saudade só aumentaria, eu sinalizava com a cabeça em concordância, mas no fundo não acreditava muito nisso. Achava que a dor nunca passaria e que seria impossível a saudade ser maior do que já era. Grande engano meu. A dor passou sim (embora o choro às vezes apareça), mas a saudade já está do tamanho de um oceano e, de fato, não pára de crescer.

Me lembro muito de coisas que devia ter dito à ela, ou outras que não devia nem em sonho. Penso em coisas que podia ter feito, em fatos que podia ter compartilhado, em lugares que ela podia ter conhecido. Penso que a privei de ter conhecido melhor a Érica. Coisas que, é óbvio, não são "consertáveis", mas que servem de aprendizado e experiência. Afinal, dizem que persistir no erro é burrice.

Me sinto extremamente privilegiado por ter tido a mãe que eu tive. Com todas as suas limitações, sem dúvida ela fez um trabalho magnífico ao criar a mim e ao meu irmão. Conduziu nossa casa sozinha, quando até a sua própria mãe (minha avó) negou auxílio. Sem dúvida, posso ver hoje o quanto Deus preservou, guardou e proveu em nosso lar.

O que guardo hoje comigo, além de todas as boas lembranças que tenho, e apesar das ruins que permanecem, é todo o legado que ela incutiu em mim. De caráter, retidão, luta e persistência. Espero ser tão marcante na vida dos meus filhos quanto ela foi na minha.

E deixo também um "toque" para quem ainda tem os seus pais presentes. Curta-os muito. Abrace-os sempre. Diga que os ama. Leve-os para passear. Dê presentes. Honre-os. Lhes dê orgulho. Orgulhe-se deles. Você pode achar que estou sendo demagogo, ou ainda que estou falando como um "velho", ou algo assim. Mas te digo sem sombra de dúvida: se você deixar essa oportunidade passar, pode vir um dia onde vai desejar tê-la aproveitado melhor, mas aí já será apenas um desejo vago na sua mente e impossível de ser consumado.

segunda-feira, 14 de junho de 2010

Troco pedais por um POD X3 Live

Pessoal, estou interessado em trocar todo o meu set de pedais por um POD X3 Live! Quem estiver interessado ou soube de alguém, por favor, entre em contato.

Segue abaixo os pedais que possuo e uma breve descrição de cada um.

Morley Volume Pedal de volume da Morley. Possui potenciômetro para controle do volume de saída. Costuma ser utilizado para variar dinâmica, controlar o volume em diferentes momentos de uma música ou mesmo para criar efeitos (com delay, por exemplo).
Morley Volume Wah Wah Morley. Pedal show de bola, de som muito característico! Basicamente o que ele faz enquanto se varia a posição do pedal é oscilar entre frequências graves e agudas, soando realmente com algo parecido a uma voz "falando wah-wah"! Hehe! Bons exemplos desse som podem ser ouvidos na música Voodoo Child, de Jimi Hendrix e em várias músicas de Steve Vai. Aliás, o Vai é um entusiasta desses pedais e assina vários modelo da própria Morley.
Como se pode ver, o símbolo da Morley está um pouco riscado (coisas da estrada! hehe!), mas o funcionamento dele está impecável.
Greatone DY-1 Delay Esse é o Delay DY-1, da Greatone. Ele foi projetado para oferecer o efeito com o controle de seus principais parâmetros, fundamentais para o músico conseguir o seu perfeito controle. Os controles LEVEL, FEEDBACK e DELAY podem ser ajustados de acordo com seu gosto, afim de simular o som de ambientes com as mais variadas dimensões. Eu utilizo muito para solos.
Boss Super Chorus CH-1 Super Chorus CH-1, da Boss. Este pedal destaca-se por timbrar agudos mais limpos. O efeito chorus estéreo varia com a distância entre os alto-falantes, gerando um efeito espacial que é a marca registrada do efeito de chorus da Boss. A função EQ ajusta tonalidades quentes e suaves até as mais encorpadas, ideais para tocar guitarra base. Possui duas saídas (mono e estéreo), dando a possibilidade de utilizar dois amplificadores. Show de bola!
Boss DS-1 Distortion Boss DS-1 Distortion. Esse é o meu preferido! Pedal básico de distorção desenvolvido pela Roland Corporation, sob a marca Boss, no ano de 1978. Possui um potenciômetro para tonalidade, um para ganho e um para distorção. Produz desde sons leves, do tipo drive, até sons ásperos e pesados, estando presente em famosas composições como "You Could Be Mine", do Guns N' Roses. O DS-1 tem sido a marca do som de muitos guitarristas, como Slash, Joe Satriani, Joe Perry, Steve Vai e John Frusciante.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

"Outlive Your Life", o novo livro de Max Lucado

Acabei de receber um e-mail "do Max Lucado" (não, ele não é meu amigo pessoal...) informando sobre o seu mais novo lançamento, chamado "Outlive Your Life: You Were Made To a Make a Difference" ("Prolongue a Sua Vida: Você Foi Feito para Fazer a Diferença", em minha humilde tradução livre).

Dei uma olhada mais a fundo e a proposta é das melhores. O livro, como o nome sugere, fala sobre o nosso papel em impactar positivamente esse "mundão véio sem porteira". E o Max não ficou só no papel: 100% da renda obtida com o livro vai para a World Vision, destinada à assistência de mais de 25.000 crianças pelo mundo. É pouco (segundo ele, há mais de 140 milhões de órfãos pelo mundo), mas é muito mais que muitos de nós temos feito.

Não pára por aí: está sendo organizada também a "Make Difference Tour", turnê que circulará os EUA levando o próprio Max, e mais o Michael W. Smith, Third Day e Tob Mac (esses dois últimos eu não conheço, mas parece que, assim como Michael, também são ganhadores do Grammy). O objetivo é conseguir mais patrocinadores para este projeto da World Vision e, claro, alcançando ainda mais pessoas necessitadas.

Ou seja, "outlive" aqui quer dizer algo como "viver além", fazer algo mais, viver de forma que a sua vida "ecoe" além do tempo em que você viver aqui.

Ele disponibilizou o primeiro capítulo do livro em seu site, para quem quiser dar uma espiada. E também está incentivando as pessoas a discutirem o assunto. O endereço da sua comunidade é: 


E pra quem quiser apenas ver o pdf deste primeiro capítulo, o endereço é:


Traduzi abaixo um pequeno trecho:

"Eu vivo hoje, você também. Estamos recebendo uma escolha... uma oportunidade de fazer uma grande diferença em um tempo difícil. E se fizermos? E se impactarmos o mundo com esperança? Nos infiltrarmos em cada esquina com o amor e a vida de Deus? E se seguirmos o exemplo da igreja de Jerusalem (no livro de Atos)? Aquele pequeno grupo se expandiu em uma força capaz de mudar o mundo. Nós ainda bebemos de suas rodas e comemos de suas árvores de fé. Como eles fizeram isso? O que podemos aprender de suas prioridades e paixões?"

Se alguém ler e quiser comentar aqui, fique à vontade. O livro está em pré-venda no site dele e deve chegar às lojas americanas em setembro. 

Já foi o tempo de meditarmos, pensarmos, analisarmos... algo precisa acontecer, e logo. Precisamos quebrar as barreiras que nos dividem e nos separam, afim de levarmos por toda parte a vida que Deus colocou em nós através de Jesus Cristo.

terça-feira, 8 de junho de 2010

Cristais Quebrados

Texto retirado do blog do ator Carlos Vereza.

Não é necessário ser profeta, para revelar antecipadamente o que será o ano eleitoral de 2010.

Ou existe alguém com tamanha ingenuidade para acreditar que o "fascismo galopante" que aparelhou o estado brasileiro vá, pacificamente, entregar a um outro presidente, que não seja do esquema lulista, os cargos, as benesses, os fundos de pensão, o nepotismo, enfim, a mais deslavada corrupção jamais vista no Brasil?

Lula, já declarou, que (sic) "2010 vai pegar fogo!". Entenda-se por mais esta delicadeza gramatical, golpes abaixo da cintura: Dossiês falsos, PCC "em rebelião", MST convulsionando o país... Que a lei de Godwin me perdoe - mas assistiremos em versão tupiniquim, a Kristallnacht, A Noite dos Cristais que marcou em 1938 o trágico início do nazismo na Alemanha.

E os "judeus" serão todos os democratas, os meios de comunicação não cooptados (verificar mais uma tentativa de cercear a liberdade de expressão no país: em texto aprovado pelo diretório nacional do PT, é proposto o controle público dos meios de comunicação e mecanismos de sanção à imprensa). Tudo isso para a perpetuação no poder de um partido que traiu um discurso de ética e moralidade ao longo de mais de 25 anos e, gradativamente, impõe ao país um assustador viés autoritário. Não se surpreendam: há todo um lobyy nacional e internacional visando a manutenção de Lula no poder.

Prêmios, como por exemplo, o Chatham House, em Londres, que contou com "patrocínios" de estatais como Petrobrás, BNDS e Banco do Brasil, sem, até agora uma explicação convincente por parte dos "patrocinadores"; matérias em revistas estrangeiras enaltecendo o "mantenedor da estabilidade na América Latina". Ou seja: a montagem virtual de um grande estadista...

Na verdade Lula é o übermensch dos especuladores que lucram como "nunca na história deste país".

Sendo assim, quem, em perfeito juízo, pode supor que este ególatra passará, democraticamente a faixa presidencial, para, por exemplo, José Serra, ou mesmo, Aécio Neves?

Pelo que já vimos de "inaugurações" de obras que sequer foram iniciadas, de desrespeito às leis eleitorais, do boicote às CPIs, como a da Petrobás, do MST e tantos outros "deslizes", temos o suficiente para imaginar o que será a "disputa" eleitoral em 2010.

Confiram.

quinta-feira, 3 de junho de 2010

Michael W. Smith - A New Hallelujah

São 02h00 da manhã. Acabamos de chegar do show do Michael W. Smith lá no Ginásio do Ibirapuera. Depois de 5 anos, o cara voltou ao Brasil.

Como dá pra perceber, eu tinha comentar algo! Foi simplesmente... único. Já fui em muitos, muitos shows. Vi apresentações de todos os tipos, estilos e gêneros musicais. E, no meio disso tudo, posso dizer sem medo de errar: hoje fui a um dos melhores shows da minha vida.

Confesso que não tinha grandes expectativas. Desde a minha conversão, ao 15 anos, eu sempre curti o som dele, mas nunca foi algo que digamos, "me arrebatasse". Era aquele tipo de coisa que eu achava... legal.

Pois é, fui surpreendido. Deus mesmo me surpreendeu. Tive uma verdadeira noite de louvor a Ele, conduzida pelo Espírito através do tal americano de olhos claros. Foi demais!

Tivemos um breve incidente que quase estragou a noite: compramos ingressos para o setor amarelo, mas eles fizeram algum rolo na marcação de lugares e quase que ficamos sentados atrás do palco. Mas tudo se resolveu e ficamos em um lugar muito bom.

O show começou. As primeiras músicas foram um misto de grandes sucessos e faixas do novo CD "A New Hallelujah" (que, aliás, é ótimo). Ali o gelo foi quebrado (literalmente - estava uma noite muito fria em Sampa) e a coisa decolou! As impressões foram as melhores possíveis.

Fiquei admirado com a simplicidade dele. Quem não o conhece mal imagina que ele já ganhou Grammy`s, já tocou para vários presidentes americanos, para o Billy Graham, que foi tecladista da Amy Grant, que já emplacou várias músicas no topo das paradas americanas ou que já vendeu mais de 12 milhões de CD`s em seus 27 anos de carreira. Não! Quando ele estava no palco, percebia-se nitidamente que ele estava tendo o seu próprio momento com Deus e nos convidando a ter o nosso também. Sem exibição, sem pompas, sem ostentação. Apenas um adorador fazendo um som com os seus amigos adoradores para um grande grupo de adoradores.

Aliás, falando em "amigos adoradores", a banda dele é ótima! Todos sem exceção são ótimos músicos, mas creio que vale uma menção quanto à sua violonista/violinista/backing-vocal (não sei o nome dela). Uma artista talentosíssima, canta muito bem e toca violino maravilhosamente. Aliás, não me lembro de alguma vez ter visto alguém tocar violino e cantar ao mesmo tempo. Fala sério! E ela roubou a cena em "Agnus Dei", com o solo de violino da abertura. Sem palavras...

O set inteiro foi ótimo, e algumas frases de suas músicas estão na minha cabeça até agora:

"Friends are friends forever, if the Lord is Lord of them".

"You are Holy, Holy are you Lord God Almighty... Worthy is the Lamb...".

"God, you are a Awesome God... He reigns..."

"Shout onto God with a voice of triumph, shout onto God with a voice of praise, shout onto God with a voice of triumph, we lift your Name up, we lift your name up".

"The enemy has been defeated, death couldn't hold you down, we'll gonna lift our voices in victory, we'll gonna make Your praises loud".

Chorei (mesmo)! Foi muito bom! É aquela velha história: quem não foi, perdeu.

Se alguém também esteve lá ou se animou de ir hoje (quinta-feira), me conta como foi!

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Nada se cria!

Segue uma apresentação fantástica feita por um grupo humorístico australiano chamado "Axis of Awesome". O quadro chama-se "4 Chord Song" onde eles provam, por "A + B", que 40 grandes hits dos últimos 40 anos utilizaram os mesmos 4 acordes!!




Na verdade, tecnicamente não são exatamente os mesmo acordes, e sim a mesma progressão harmônica... e na hora eles "enquadraram" todas elas no mesmo tom. Mas não vamos tirar o folclore, né!? Hehe! Afinal, ficou realmente muito bom!

sábado, 22 de maio de 2010

Férias 2010 - Parte 03

Ao me ver falar (ou melhor, escrever) sobre NYC (e, posteriormente, sobre Orlando e Disney) pode parecer que são lugares "perfeitos" ou, pior, que EU penso que são lugares perfeitos.

É claro que não são. Como em qualquer outro lugar, eles tem lá suas imperfeições. Mas creio que o que faz um lugar melhor do que outro é a sua quantidade de perfeições frente às imperfeições, ou a qualidade de uma frente à outra, ou ainda o que se faz com as imperfeições para que as perfeições prevaleçam. E, seja qual for o critério adotado, sem dúvida alguma os americanos sabem como fazer muitas coisas muito bem-feito.

De coisas ruins deles, podemos destacar:

1-O metrô de NY é meio sujo e meio feio. Mas é muito grande, tem muitas linhas, você vai pra qualquer canto da cidade com ele. Ou seja, o que é melhor: o deles ou o de SP, que é considerado o mais limpo do mundo, mas que não chega em vários pontos importantes da cidade?

2-Eles comem muito mal, muito mesmo. E não é por falta de opção não, é hábito mesmo. Tem muita gente com uma obesidade absurda, chega a dar dó. Eles encaram comidas muito gordurosas a qualquer hora e em qualquer lugar. Batata frita é inclusa em praticamente qualquer coisa que você peça em um restaurante ou lanchonete. E por aí vai... Mas, novamente: é hábito, não é falta de opção. Nós conseguimos comer comidas mais saudáveis sem grandes problemas.

3-O atendimento da Best Buy de Orlando é o pior do mundo. É ridículo, é uma droga, é desprezível. Os vendedores são mal educados, tem má vontade em atender, não explicam nada... são muito ruins. Eu já tinha ouvido algo a respeito, mas não botei muita fé e acabei indo lá. Se alguém estiver em Orlando e precisar comprar algo deles, talvez possa tentar algum shopping, sei lá... mas a loja da Orange Blossom é péssima. O que contrasta muito com o atendimento geral nos EUA, que é ótimo.

4-É muito difícil encontrar um restaurante que sirva feijão! O que, pra mim em específico, é um crime! Hehehe! Graças a Deus que, em Orlando, encontramos o Victorio`s, um restaurante brasileiro ótimo! Você paga US$ 10.00 por pessoa (se não me engano) e come à vontade (arroz, feijão, bife, frango assado, farofa, salada, etc), com direito a suco, sobremesa e café!

Acho que foram essas coisas que eu classificaria como "ruins" nos lugares em que estivemos. Às vezes pensávamos que estávamos tendo uma visão distorcida da coisa, típica de turista. Mas conhecemos muitos brasileiros que moram lá e a maioria nem sonha em voltar ao Brasil. Conhecemos uma senhora que disse que "não tem saudades de naaaaaaaaaaaaaada do Brasil". Alguma diferença deve ter, né?!


Uma amostra do metrô.

Manhatan vista a partir da Brooklyn Bridge. Muito linda!

terça-feira, 18 de maio de 2010

Guerreando

Hoje vou dar um tempo nos posts sobre a nossa viagem de férias e abordar um assunto de importância máxima: oração. "Coisa" conhecida por muitos, ignorada por tantos e praticada por poucos. Seja qual for o seu caso, tenha em mente o seguinte: orar é uma ação indispensável para quem quer se relacionar com Deus. Você quer? Eu quero, e preciso melhorar muito...

O texto que vou compartilhar foi adaptado por mim a partir dos apontamentos de uma pregação feita pelo meu amigo Cezar Pinheiro. Segundo ele mesmo, "essa foi a primeira pregação que eu preparei e que mudou a minha própria vida". Deus falou forte com ele, para que depois ele pudesse falar a quem quer que fosse.

É um pouco grande, afinal trata-se de uma pregação! Mas vale muito a pena parar um pouquinho para ler (quem puder e quiser, claro).

Cezar, se você estiver lendo aqui e quiser mudar algo, fique à vontade, ok?


"Vocês não sabem que de todos os que correm no estádio, apenas um ganha o prêmio? Corram de tal modo que alcancem o prêmio. Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. Sendo assim, não corro como quem corre sem alvo, e não luto como quem esmurra o ar. Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo, para que, depois de ter pregado aos outros, eu mesmo não venha a ser reprovado." (I Coríntios 9:24-27)

Paulo diz que estamos em uma guerra, uma luta, disputa, competição. Então vamos lutar! Porém, precisamos nos atentar a algumas coisas:

  1. Identificar o inimigo/oponente: "Pois a nossa luta não é contra seres humanos, mas contra os poderes e autoridades, contra os dominadores deste mundo de trevas, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestiais." (Efésios 6:12).
  2. Não ignore seu inimigo, ou ele te arrebenta: "A fim de que Satanás não tivesse vantagem sobre nós; pois não ignoramos as suas intenções." (II Coríntios 2:11).
  3. Conhecer o seu poder de fogo dele: veja exemplos.
    • Prende uma mulher por 18 anos - "Então, esta mulher, uma filha de Abraão a quem Satanás mantinha presa por dezoito longos anos..." (Lucas 13:16).
    • Por duas vezes impediu Paulo de visitar os tessalonicenses - "Quisemos visitá-los. Eu mesmo, Paulo, o quis, e não apenas uma vez, mas duas; Satanás, porém, nos impediu." (I Tessalonicenses 2:18).
    • Impediu uma resposta de oração durante 21 dias - "...Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu durante vinte e um dias..." (Daniel 10:12-13).

Identificado o inimigo, precisamos de uma estratégia. E ela é a seguinte: parta para a ofensiva, ou ele vai encurralar você. Invada seu território, destrua suas fortalezas.

Mas não vá de mãos abanando, desarmado. Jesus nos deu uma "bazuca", uma "bomba", e o nome dela é oração. Através dela, Ele próprio invadiu (entrou à força) o território inimigo e venceu pelo poder o Espírito Santo.

"Ah", alguém pode dizer, "mas era Jesus, né?". Sim, Jesus... o homem! "Que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens." (I Tessalonicenses 2:6-7).

Jesus fez coisas grandiosas e disse que poderíamos fazer outras ainda maiores: "Digo-lhes a verdade: Aquele que crê em mim fará também as obras que tenho realizado. Fará coisas ainda maiores do que estas, porque eu estou indo para o Pai." (João 14:12). O "segredo" dEle está à disposição de todos nós: oração (novamente).

Analisemos algumas vitórias de Jesus:

  • Milagres em Genesaré - "Quando os homens daquele lugar reconheceram Jesus, espalharam a notícia em toda aquela região e lhe trouxeram os seus doentes. Suplicavam-lhe que apenas pudessem tocar na borda do seu manto; e todos os que nele tocaram foram curados." (João 14:35-36). Pouco tempo antes, ele estava no monte orando: "Tendo despedido a multidão, subiu sozinho a um monte para orar. Ao anoitecer, ele estava ali sozinho" (João 14:23).
  • Escolha dos 12 apóstolos - Após passar a noite inteira orando, ele escolheu os 12. "Num daqueles dias, Jesus saiu para o monte a fim de orar, e passou a noite orando a Deus. Ao amanhecer, chamou seus discípulos e escolheu doze deles, a quem também designou apóstolos" (Lucas 6:12-13).
  • Pregou e expulsou demônios na Galiléia - "Então ele percorreu toda a Galiléia, pregando nas sinagogas e expulsando os demônios." (Marcos 1:39). Novamente, após uma madrugada de oração: "De madrugada, quando ainda estava escuro, Jesus levantou-se, saiu de casa e foi para um lugar deserto, onde ficou orando." (Marcos 1:35).
  • Quando sabia que aproximava-se a sua hora - Mais uma vez, orou no monte: "...Jesus tomou consigo a Pedro, João e Tiago e subiu a um monte para orar. Enquanto orava, a aparência de seu rosto se transformou, e suas roupas ficaram alvas e resplandecentes como o brilho de um relâmpago. Surgiram dois homens que começaram a conversar com Jesus. Eram Moisés e Elias. Apareceram em glorioso esplendor, e falavam sobre a partida de Jesus, que estava para se cumprir em Jerusalém." (Lucas 9:28-31).
  • No seu momento mais difícil, não foi pego desprevinido - Momentos antes de ser preso, estava orando: "Indo um pouco mais adiante, prostrou-se com o rosto em terra e orou..." (Mateus 26:39).
Nessa guerra, nós somos os soldados. Todo bom soldado precisa de duas coisas:
  1. Treinamento rigoroso: "Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso" (I Coríntios 9:25a).
  2. Disciplina: "Mas esmurro o meu corpo e faço dele meu escravo" (I Coríntios 9:27a).
Uma coisa curiosa: durante da batalha, na hora do "vamo vê", Jesus não orava: Ele dava ordens! Ao morto ele dizia "venha para fora!", ao enfermo ele dizia "levanta e anda!" e ao demônio ele dizia "vai embora!". A vitória já havia sido conquistada antes, a arma já estava carregada. Na hora da batalha não é hora de carregar a arma, é hora de atirar. O inimigo chegou? Já era!

Os discípulos comprovaram isso da pior forma. Jesus os avisou do que iria acontecer e disse que deviam orar (estratégia): "...Orem para que vocês não caiam em tentação" (Lucas 22:40). Mas eles, tristes, dormiram. Tristeza + Desânimo = Sono. Resultado: o inimigo pegou-os despreparados e botou-os pra correr, humilhados e nus ("Um jovem, vestindo apenas um lençol de linho, estava seguindo Jesus. Quando tentaram prendê-lo, ele fugiu nu, deixando o lençol para trás." - Marcos 14:51-52).

"Mas, Cezar, eu oro e parece que Deus não me ouve". Persista! Se sua granada não está vazia e se não há obstáculos, uma hora Miguel chega e ela explode!

Discipline-se, treine rigorosamente tenha momentos a sós com Deus diariamente. Sem isso, nenhum soldado sobrevive à guerra. Lute para vencer!

    quinta-feira, 13 de maio de 2010

    Férias 2010 - Parte 02

    Nossa chegada em NYC foi provavelmente um dos maiores choques que já sofri em toda a minha vida. No bom sentido, aliás, no melhor sentido!

    Estávamos em uma das grandes capitais do mundo, na cidade símbolo dos  EUA, onde, literalmente, tudo acontece (talvez nem tudo, mas muita coisa). Não sabíamos muito para onde olhar: era tudo muito grande, imponente, belo... era muita informação!

    Chegamos no hotel, tomamos um banho rápido e saímos para andar. Era umas 21h00 e simplesmente não podíamos ficar ali, olhando tudo aquilo pela janela... precisávamos sair!

    Nosso hotel era extremamente bem localizado: estávamos na esquina da Broadway com a 32nd, a uma quadra da 5 avenida, a umas 5 quadras da Times Square e com uma estação de metrô quase dentro do hotel. Ficamos andando por umas duas horas, tentando assimilar que realmente estávamos ali. Caramba, estávamos em NYC! Talvez muitos achem bobeira, ou que nem é tudo isso... mas tudo bem, para a gente foi demais!

    O único mico da noite (tinha que ter um, claro), foi nossa tentativa de jantar no KFC. Acho que foi uma das piores refeições da minha vida (se é que se pode chamar aquilo de refeição): um frango nadando em óleo, provavelmente frito há uns 3 anos e uma batata frita que foi feita no SuperBowl de 2004 (ou antes). A Coca-Cola tava boa... hehehe!

    Obs.: Pegando um gancho no assunto da comida... ao contrário do pensávamos, não comemos tão mal não durante toda a viagem. Foi só uma questão de escolher bem e de não querer gastar US$ 5.00 por refeição (e sem gastar US$ 50.00 também).

    Por hoje é isso. Aí vão mais duas fotos:

    Empire States Building... fantástico.

    Paradinha na loja da Apple, claro. Fica quase em frente ao
    Central Park. Consegui testar um IPad e achei muito legal,
    mas não dá coragem de gastar 500 doletas nele.

    segunda-feira, 26 de abril de 2010

    Férias 2010 - Parte 01

    Pois é, pessoal... como todos puderam perceber, não postei absolutamente nada durante nossos dias de viagem!! Mas isso teve um motivo pra lá de justo: a total falta de condições físicas ao final de cada dia! Hehe! Sabem como é: andar muito, conhecer muitos lugares novos, se divertir muito, comprar coisas que seriam inacessíveis aqui no Brasil, ir a muitos parques, nos divertir com coisas que nem imaginávamos existir... tudo isso cansa! E como cansa!

    Pretendo publicar alguns posts para dar uma idéia de como foram esses dias. Pensem em grandes sonhos, em coisas lindas, em obras monumentais, em emoções inigualáveis... é o que vivemos por lá e o que vou tentar compartilhar aqui. Mas já adianto: ainda que eu tivesse tirado fotos de tudo, que tivesse filmado 24 horas por dia e que contasse tudo o que vimos nos máximos detalhes (incluindo som, imagem, cheiro, etc), ainda assim não conseguiria passar a idéia na íntegra! Só vivendo tudo isso para saber como é (quem já passou por isso pode confirmar). Resumindo: essa viagem foi um verdadeiro presente de Deus para nós!

    Como este post é apenas o primeiro de não sei quantos, aí vão duas fotos: uma de NY e outra da Disney.



    quinta-feira, 1 de abril de 2010

    Enfim... férias!!

    Ahhhhhhhh... que blz! As tão sonhadas férias chegaram! Já não era sem tempo... hehe!

    Vou tentar postar algumas coisas sobre a nossa viagem na medida em que for possível. Nada comparado ao que o Edu fez (http://www.eduardomoralles.com/blog/?s=textos - dia 0 ao dia 36) e que ficou fantástico, mas apenas algo para manter o blog "vivo" e compartilhar alguns momentos legais que passarmos por lá.

    Boas férias a todos... ou melhor, a nós!! Hehe!

    sexta-feira, 26 de março de 2010

    Buscar e se humilhar

    "E ele prosseguiu: 'Não tenha medo, Daniel. Desde o primeiro dia em que você decidiu buscar entendimento e humilhar-se diante do seu Deus, suas palavras foram ouvidas, e eu vim em resposta a elas.'" (Daniel 10:12)

    Quem nunca sentiu que suas orações não têm saído do seu quarto, que têm sido como gritos sufocados no meio do nada? Quem nunca achou que Deus, o Onipresente e Onisciente, estava o ignorando solenemente?

    Que grande engano! Ou melhor, talvez seja um engano. Digo talvez porque, no caso de Daniel, o anjo citou duas coisas que fizeram com que as suas orações fossem ouvidas:

    1-Ele decidiu buscar entendimento: Não se engane, Daniel não entrou em nenhuma mega faculdade e nem começou a ler livros de nenhum sábio. Não é à toa que ele foi jogado na cova dos leões: eles buscava a Deus não importando os tempos, as condições, as leis... nada! Era uma busca sincera e incondicional.

    2-Ele humilhou-se diante de Deus: Daniel reconhecia que Deus era Santo e Soberano, e que ele (Daniel) não passava de um pecador, indigno do Seu favor. Vejam a oração que ele fez em Daniel 9:4-19 (resumido):

    "Orei ao SENHOR, o meu Deus, e confessei:
    Ó Senhor, Deus grande e temível... nós temos cometido pecado e somos culpados. Temos sido ímpios e rebeldes, e nos afastamos dos teus mandamentos e das tuas leis. Não demos ouvido aos teus servos... que falaram em teu nome aos nossos reis, aos nossos líderes e aos nossos antepassados, e a todo o teu povo. Senhor, tu és justo, e hoje estamos envergonhados... Ó SENHOR... estamos envergonhados por termos pecado contra ti. O Senhor nosso Deus é misericordioso e perdoador, apesar de termos sido rebeldes... Todo o Israel transgrediu a tua lei e se desviou, recusando-se a te ouvir. Por isso as maldições e as pragas escritas na Lei de Moisés, servo de Deus, têm sido derramadas sobre nós, porque pecamos contra ti. Cumpriste a palavra proferida contra nós e contra os nossos governantes, trazendo-nos grande desgraça... Conforme está escrito na Lei de Moisés, toda essa desgraça nos atingiu, e ainda assim não temos buscado o favor do SENHOR... Ó Senhor nosso Deus... nós temos cometido pecado e somos culpados... Os nossos pecados e as iniqüidades de nossos antepassados fizeram de Jerusalém e do teu povo objeto de zombaria para todos os que nos rodeiam... Inclina os teus ouvidos, ó Deus, e ouve... Não te fazemos pedidos por sermos justos, mas por causa da tua grande misericórdia. Senhor, ouve! Senhor, perdoa! Senhor, vê e age! Por amor de ti, meu Deus, não te demores, pois a tua cidade e o teu povo levam o teu nome."

    Buscar entendimento nEle e nos humilharmos diante dEle: não há outra forma de nos achegarmos ao Seu Trono e estarmos aptos a ouvir aquilo que Ele tem a dizer.

    segunda-feira, 22 de março de 2010

    O que passou... passou!

    "Não que eu já tenha obtido tudo isso ou tenha sido aperfeiçoado, mas prossigo para alcançá-lo, pois para isso também fui alcançado por Cristo Jesus. Irmãos, não penso que eu mesmo já o tenha alcançado, mas uma coisa faço: esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo, a fim de ganhar o prêmio do chamado celestial de Deus em Cristo Jesus." (Filipenses 3:12-14)

    Uma parte específica deste texto me chamou muito a atenção: "esquecendo-me das coisas que ficaram para trás e avançando para as que estão adiante, prossigo para o alvo".

    Geralmente, quando falamos sobre este texto em nossas igrejas (ou em qualquer outro "ajuntamento gospel"), ao dizermos "esquecendo-se das coisas que ficaram para trás", acabamos nos referindo à vida "torta" que vivíamos, ou à coisas ruins que fizemos, ou ainda a coisas ruins que nos aconteceram (tragédias, fatalidades, perdas, etc). E, a princípio, creio que Paulo se referia também a tudo isso. Essas coisas precisam ser vencidas, superadas, perdoadas e curadas para que nossa caminhada rumo ao Senhor prossiga.

    Contudo, não creio que Paulo se referia apenas a isso. Ele disse "esquecendo-se das coisas" e não "esquecendo-se das coisas ruins". Onde quero chegar? Que tudo aquilo que ficou para trás, deve ser deixado para trás, sejam coisas ruins ou boas! Não quero dizer que o que passou não serve para nada... Não, não é nada disso! Aliás, eu seria no mínimo ingênuo se dissesse isso. O que entendo neste texto é, de certo modo, um combate àquilo que muitos chamam de "viver do passado".

    Não vou comentar hoje sobre "viver do passado ruim". Como disse, já falamos muito disso no nosso meio eclesiástico. :)

    Temos uma tendência forte, preguiçosa, confortável e cômoda de nos agarrarmos a qualquer coisinha boa que nos aconteça (ou que façamos) e viver daquilo por anos a fio. Daí vamos envelhecendo e acabamos ficando como aquelas pessoas que insistem naquele discurso chato: "no meu tempo sim era bom!".

    Vou dar um exemplo pessoal (pra ninguém falar que estou falando mal dos outros, vou falar mal de mim mesmo!): eu vivi alguns bons anos de serviço cristão há alguns anos atrás. Dando as minhas cabeçadas, tive a oportunidade de servir a Deus na liderança da juventude local da minha igreja (a saudosa MOBAVE), na juventude regional (a JUBA-ABC, o ministério mais gratificante no qual atuei e que cheguei a presidir) e na juventude estadual (a JUBESP, o ministério mais difícil dentre todos esses - e o maior também). Foram quase 10 anos de muito trabalho, muitas amizades, muitas risadas, muito choro, muita encrenca pra resolver e, principalmente, muito agir de Deus. Sim, foram anos memoráveis!

    Porém, pensando em tudo isso frente ao texto acima, sinto Deus me dizendo: "E daí? Isso tudo passou!". A MOBAVE "passou" em 2004. A JUBA-ABC "passou" em 2006. Por fim, a JUBESP "passou" em 2007. E muitas vezes me pego justificando a minha vida cristã estéril com coisas que aconteceram no passado e que lá estão.

    Não é assim temos nos acostumado a viver? Vivemos daquele ministério que já nem existe mais, vivemos daquela cura que muitos já nem lembram, vivemos daquela manifestação de Deus que foi "tremenda" (mas já nem lembramos mais em que ano ocorreu), vivemos daqueles folhetos que distribuímos que, se algum ainda existe, já deve estar desbotado.

    O que Deus pergunta pra mim nisso tudo é: "E hoje? E agora? O que está acontecendo hoje que está te conduzindo rumo ao alvo?". A Bíblia nos ordena a vivermos em novidade de vida (Romanos 6:4), mas acabamos nos prendendo à nossa velha vida nova. Ela também nos diz que as misericórdias no Senhor se renovam a cada manhã (Lamentações 3:22-23), mas também insistirmos em viver da misericórdia de ontem.

    Quando o povo de Israel tentou guardar o maná de um dia para o outro, contrariando uma ordem de Deus, perceberam que ele se estragava (Êxodo 16:19-20). A provisão de Deus era para o dia apenas, e eles deviam confiar que Deus daria provisão para o dia seguinte. Deus tem uma provisão nova para o dia de hoje!

    Que Ele nos ensine a nos renovarmos diariamente em nossas vidas, em nossos ministérios, em nossas igrejas, em nossas famílias e, acima de tudo, perante a Sua face.

    terça-feira, 16 de março de 2010

    Um pouco de entrosamento

    Acho que deveria ser proibido tocar assim. Sei lá, talvez enquandrá-los em algum crime ou algo do tipo...


    Duo Siqueira Lima, formado por Cecília Siqueira (Uruguai) e Fernando Lima (Brasil), no "The 2009 Brazilian Music Institute in Gainesville, Florida", tocando Tico Tico no Fubá.

    Tirando a questão de duas pessoas tocarem um instrumento feito para uma pessoa (o que já é um absurdo!), o mais bizarro é quando eles invertem as mãos! Imagina só: tocar uma música com a esquerda e outra com a direita... eu mal consigo tocar a mesma música com as duas mãos!! Hehe!

    Simplesmente incrível!

    segunda-feira, 15 de março de 2010

    A Escolha

    Por Max Lucado

    Ele colocou uma porção de barro após outra, até que uma forma sem vida repousasse sobre o chão.

    Todos os habitantes do Jardim pararam para contemplar aquele evento. Os falcões pousaram. As girafas se esticaram. As árvores se inclinaram. As borboletas pousaram em pétalas e assistiram.

    "Você me amará, natureza," Deus disse. "Eu fiz você assim. Você me obedecerá, universo. Você foi feito assim. Você resplandecerá a minha glória, céus, pois assim vocês foram feitos. Mas este aqui será igual a mim. Ele será capaz de escolher."

    Todos permaneceram em silência quando o Criador chegou-se a Si mesmo e pegou algo nunca visto. Uma semente. "É conhecida como 'escolha'. A semente da escolha."

    A criação permaneceu em silêncio e contemplou a forma sem vida.

    Um anjo disse: "Mas e se ele..."

    "E se ele escolher não me amar?" o Criador completou. "Venha, Eu vou lhe mostrar."

    Sem a prisão do tempo, Deus e o anjo caminharam até a esfera do amanhã.

    "Ali, veja o fruto da semente da escolha. Ele é doce e amargo."

    O anjo se deslumbrou com o que viu. Amor espontâneo. Devoção voluntária. Ternura escolhida. Ele nunca tinha visto nada assim. Ele sentiu o amor de Adão. Ele ouviu a alegria de Eva e suas filhas. Ele viu a comida e os bens sendo compartilhados. Ele absorveu aquela bondade e ficou maravilhado com o calor que ela possuía.

    "O Paraíso nunca viu nada tão belo, meu Senhor. Verdadeiramente, esta é a Sua maior criação."

    "Ah, mas você viu apenas o doce. Agora contemple o amargo."

    Um fedor envolveu a ambos. O anjo ficou horrorizado e disse: "O que é isso?"

    O Criador disse apenas uma palavra: "Egoísmo."

    O anjo permaneceu calado enquanto eles passavam através de séculos de repugnância. Nunca havia visto tamanha imundície. Corações podres. Fidelidades esquecidas. Filhos da criação peregrinando cegos em labirintos solitários.

    "Este é o resultado da escolha?" o anjo perguntou.

    "Sim."

    "Eles se esquecerão de Você?"

    "Sim."

    "Eles O rejeitarão?"

    "Sim."

    "Eles nunca voltarão?"

    "Alguns sim. A maioria não."

    "O que é necessário para fazê-los ouvir?"

    O Criador caminhou no tempo, anos através do futuro, até que parou em frente a uma árvore. Uma árvore com a qual se poderia fazer um berço. Ele já podia sentir o cheiro do feno o envolvendo.

    Dando mais um passo no futuro, Ele parou diante de outra árvore. Estava sozinha, soberana em uma colina vazia. O tronco era espesso e a madeira era forte. Logo seria cortada. Logo seria trabalhada. Logo seria colocada na borda rochosa de uma outra colina. E logo Ele estaria pendurado nela.

    Ele sentiu o atrito da madeira contra as suas costas, mesmo antes de segurá-la.

    "Você vai descer até lá?" o anjo perguntou.

    “Vou."

    "Não há outra opção?"

    "Não, não há."

    "Não seria mais fácil não plantar a semente? Não seria mais fácil não dar a escolha?"

    "Seria, " o Criador disse lentamente. "Mas remover a escolha é remover o amor."

    Ele olhou em torno da colina e previu a cena. Três figuras penduradas em três cruzes. Braços abertos. Cabeças tombadas à frente. Eles gemiam com o vento.

    Homens com vestes de soldados sentados no chão, próximos ao trio. Eles brincavam na sujeira e riam.

    Homens com vestes religiosas permaneciam ao lado. Ele sorriam. Arrogantes, pretensiosos. Eles protegeram a Deus, pensavam, matando esse falsário.

    Mulheres vestidas de tristeza amontoavam-se aos pés da colina. Sem palavras. Faces em lágrimas. Olhos ao chão. Uma colocou seu braço em volta da outra e tentou levá-la embora. Ela não sairia. "Eu vou ficar, " disse calmamente. "Eu vou ficar."

    Todo o céu se levantou para lutar. Todos se levantaram para resgatar. Toda a eternidade se firmou para proteger. Mas o Criador não deu nenhum comando.

    "Isto tem de ser feito..." ele disse, e se retirou.

    E à medida que Ele voltava no tempo, ouviu o clamor que algum dia seria gritado: "Meu Deus, Meu Deus, porque me abandonaste?" (Marcos 15:34). Ele arrancou a agonia do amanhã.

    O anjo disse novamente. "Poderia ser menos doloroso..."

    O Criador interrompeu gentilmente. "Mas não seria amor."

    Eles entraram no Jardim novamente. O Criador olhou seriamente para a criação de barro. Uma brisa de amor fluiu dEle. Ele havia morrido pela criação antes de tê-la criado. Deus se inclinou sobre a face esculpida e soprou. A poeira voou sobre os lábios do novo ser. O tórax inflou, quebrando o barro vermelho. As bochechas viraram carne. Um dedo se moveu. E um olho se abriu.

    Porém, mais incrível do que o mover da carne era o mover do espírito. Aqueles que viram o que nunca antes havia sido visto ficaram maravilhados.

    Talvez tenha sido o vento que disse primeiro. Talvez o que a estrela viu naquele momento foi o que a fez brilhar pela primeira vez. Talvez tenham deixado o anjo sussurar:

    "Parece com... parece muito... é Ele!"

    O anjo não estava falando sobre a face, as capacidades, ou o corpo. Ele estava olhando para o interior - para a alma.

    "É eterno!" suspirou outro.

    Dentro do homem, Deus colocou uma semente divina. Uma semente dEle mesmo. O Deus Todo-Poderoso havia criado o maior poder da Terra. E Aquele que escolheu amar criou um que poderia retribuir a este amor.

    Agora a escolha é nossa.


    Extraído de "In the Eye of the Storm"
    Copyright (Thomas Nelson, 1997) Max Lucado

    segunda-feira, 8 de março de 2010

    Uma casa na Rocha!

    Como o tempo passa rápido! Há exatos 2 anos eu e a Érica estávamos nos casando! Um dia ímpar, extremamente marcante, absurdamente importante e totalmente inesquecível!

    Poderíamos escrever um livro relatando tudo o que Deus já fez por nós, todas as bênçãos, livramentos, provisões, presentes, transformações e tudo o mais de bom que se possa imaginar. Tivemos lá nossas dificuldades também, mas nada que não tenha feito com o que o nosso amor crescesse ainda mais!

    A Palavra que foi lida e comentada durante a cerimônia daquele dia tem se cumprido em nossas vidas diariamente: "Portanto, quem ouve estas minhas palavras e as pratica é como um homem prudente que construiu a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, e ela não caiu, porque tinha seus alicerces na rocha." (Mateus 7:24-25)

    Agradeço a Jesus, minha Rocha eterna, por sustentar meu casamento dia após dia!